Mitos da fluência em Inglês

Existem muitos mitos da fluência em inglês que muitos acreditam. E isso acaba bloqueando a capacidade de melhorar e absorver o idioma.

Os principais são:

  • Idade (Estou muito velho para aprender…)
  • Talento individual (Não tenho o dom…)
  • Classe social (Não tenho grana para fazer um bom curso…)
  • Local (Só fica fluente que vai morar nos Estados Unidos…)

Existe a falsa ideia de que alguém com mais idade não pode mais aprender idiomas. Mas o que define se uma pessoa vai aprender é o método e a motivação.

Crianças aprendem mais rápido por terem mais tempo livre e não terem bloqueios psicológicos como muitos adultos. Mas um adulto com atitude positiva e motivado aprende mais rápido ainda.

 

mitos da fluência em inglês

 

Talento ou inteligência não tem nada a ver com a capacidade de aprender mais ou menos idiomas. É uma questão de aquisição de habilidade natural, mais ligado a convivência e dedicação.

Existem como sempre alguma exceções, mas de um modo geral o que diferencia aqueles que aprendem dos que não aprendem são a metodologia e a atitude.

Existem países mais desfavorecidos que o Brasil, mas em que é comum pessoas falarem diversos idiomas. Portanto ser rico ou pobre não influi em nada.

Temos que parar de colocar idiomas num pedestal inalcançável. Esse sempre foi ou é um dos maiores mitos da fluência em inglês por justamente a classe mais alta da sociedade poder viajar para o exterior e ter condições de pagar professores particulares e cursos inacessíveis para a maioria da população.

A velha ideia de que para aprender um idioma temos que mudar de país é equivocada. Isso não é garantia de aprendizagem e além disso existem pessoas que falam outros idiomas muito bem sem ter que precisar sair do país de origem.

Existem pessoas que moram nos Estados Unidos mais de 10 ou até mesmo 20 anos que não são fluentes em inglês.

 

Por que existem tantos mitos da fluência em inglês?

Simplesmente porque só uma porcentagem mínima da população consegue atingir um nível considerado fluente em conversação. E coincidentemente os mesmos são os mais jovens, ricos, inteligentes e que já fizeram intercâmbio no exterior o que reforça os mitos.

 

Assim que entendemos o que não funciona e o que realmente traz resultados podemos elaborar um plano que nos leve a fluência. Veja em Estratégia para aprender idiomas a importância de criar uma rotina de estudos.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *